O Dinheiro e a palavra

Se você tivesse que, em um momento único e sem chance de retratação, escolher entre a fortuna ou a honra, o que escolheria? Veja, engana-se aquele que pensa que o dinheiro é o bem mais valoroso. E se alguém discordar, pergunto-lhe: Você negociaria com um homem rico conhecido por suas dívidas não pagas? Você abrigaria em sua casa, a mesma em que reside sua filha e esposa, um amigo rico conhecido por seus adultérios? Você manteria à sua retaguarda um ricaço famoso por seus frios assassinatos imotivados? A não ser que você seja desprovido de suas faculdades mentais, garanto que a resposta é não, para todas elas.

Nem mesmo a sua família ficaria ao seu lado se você não honrasse a sua palavra. Isso por que o dinheiro é uma ferramenta enquanto a honra e a palavra são valores. Este mundo carece de valores e, aplicando-se uma máxima comercial, quanto menor a oferta maior será o seu valor. Um homem cheio de fortuna e com a palavra em descrédito logo perderá sua fortuna, enquanto o inverso é completamente diferente. Homens de honra, aplicando as demais virtudes do sucesso, sempre serão bem-sucedidos em qualquer esfera que se imagina. Isso tudo acontece pelo único motivo de que a confiança, baseada na capacidade de manter a sua palavra, se mantém com muito mais suor do que o próprio dinheiro.

Sempre que sua palavra e sua honra estiverem em jogo, defenda-as com todo seu potencial. Sempre que fizerem uma oferta por suas palavras, aceite somente se for capaz de mantê-las sem alterar seu conteúdo, peso e significado. Sempre que seus valores forem testados, agarre-se a eles e pague a diferença. Seja qual for o prejuízo, será muito menor do que a vergonhosa descida do homem ao limbo dos desonrados.

Por: Marcius

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *